quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Avôzinho


Sinto a tua falta todos os dias, sinto falta do teu amor, dos teus conselhos, da tua amizade, da tua mão que me guiava, das conversas, do infinito carinho. Na minha memória vives.

10 comentários:

Maria e Jorge disse...

Eles ficam realmente sempre na nossa memória.
Beijinhos
Maria (Açores)

eumesma disse...

É...é complicado perder alguém de quem se gosta muito, resta-nos a memória de tudo aquilo de bom, que passámos com a pessoa em causa, e todo o amor e carinho que nos ofereceu.

Bjs

vinte e dois disse...

O meu avô paterno quase não o conheci, mas tenho excelentes memórias do meu avô materno. A minha primeira bicicleta e o meu primeiro relógio foram ofertas deles. Nunca mais se esquece..

Capitão-Mor disse...

Também tenho saudades do meu avô. A ele devo-lhe a minha paixão pelo Sporting! :)

Gostei do penteado à la Cure!

Capitão-Mor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ZUKO disse...

Não conheci nenhum avô.

Mas ela está tão gira! :-)

Polarito disse...

Resta-nos acreditar que foram sempre felizes e estão num lcal bem mais bonito do que nós... beijitos!

Luís Graça disse...

O meu avô materno substituiu o meu pai, militar de carreira, ausente por terras de África até 1974.

Morreu aos 80 anos, tinha eu 17. Fiquei com as melhores memórias. Um mês de intenso contacto com a morte: Sá Carneiro, John Lennon, o meu avô e o vizinho do 7º, grande companheiro de copos do meu avô e meu explicador de matemática.

LoiS disse...

Não conheci tb nenhum avô.

Andas muito melancólica miúda !!!!

DIV de divertida disse...

Que doçura.......!!!