segunda-feira, janeiro 08, 2007

Quando for grande quero ser...

Em resposta ao desafio lançado pelo Capitão-mor sobre o que é que eu queria ser quando era pequena, o "Oscar" vai para...
1 - Médica. Acho que poucas profissões se adaptariam tão bem a mim como a de medicina. Sempre gostei dos hospitais, de infecções, cortes, gesso e sobretudo, acreditava piamente que a medicina salvava vidas e evitava sofrimento. Descobri na minha própria pele que a medicina não evita dor, nem sofrimento e aos 14 anos de idade desisti da ideia de ser médica, ainda hoje estou convencida que seria uma boa médica, mas custar-me-ia não ter respostas para os doentes, sobretudo as crianças.
2 - Educadora de infância. Passada a febre da medicina onde até fiz complicadas cirugias a bonecas, queria ser educadora de infância. Adoro crianças e achei que seria uma boa forma de me relacionar com elas. Aqui a ilusão durou muito menos tempo, para se ser educadora de infância não é só necessário gostar de crianças, é preciso ter paciência para elas. E a paciência ainda não é uma das minhas virtudes, mas ando a tentar cultivá-la, até já tenho lá em casa uns vasinhos para esse fim...
3 - Gestora. Acabado o liceu entrei na faculdade que queria na Universidade que queria para estudar o que supostamente queria, Gestão. Descobri que por causa do ponto 1, o ponto 3 era um erro. Não tenho jeitinho nenhum para tomar decisões que em última instância podem prejudicar pessoas, acho que se algum dia me dissessem que tinha que despedir alguém me iria embora antes. Descobri que não existe tanta responsabilidade social por parte das empresas como deveria haver e que o meu ideal de gestão se encontrava em Inglaterra e que Portugal estava a anos luz dessa mentalidade.
4 - Línguas. Finalmente optei por línguas, espanhol e inglês. Inglês é uma paixão de toda a vida, espanhol algo relativamente recente e muito incentivado pelo Gabriel García Marquéz, Isabel Allende, Laura Esquivel, Arturo Peréz-Reverte ou Ernesto Sabato.
Se quando eu tinha 4 anos me tivessem dito que eu ia acabar a trabalhar nesta área, teria dito que essa pessoa estava maluca, no entanto, faço parte das coisas que gosto, ajudo pessoas a quebrarem barreiras, a resolver questões legais, promovo o meu país e outros países. Sim, gosto do que faço. Se eu gostaria de fazer mais algumas coisas? Acho que estudar Direito, tenho uma paixão pela Lei e seu cumprimento e quanto mais vou avançando no meu caminho, mais sinto que o Direito tem muitas respostas para as nossas dúvidas.
Peço desculpa pela extensão do meu post, mas acho que respondi cabalmente à pergunta efectuada e agora passo a batata quente a:
2 - Tongzhi

6 comentários:

Anónimo disse...

Eu de artista de circo, já que palhaço sou às vezes mas sem ser pago por isso !

Tongzhi disse...

Com amigos como tu quem precisa de inimigos :))))))

Não foste para médica mas deste-me uma injecção!

Ai, ai... vou pensar nisso!

Jade disse...

Olá Maria! Ao contrário de ti, acho que nunca soube muito bem o que queria ser quando fosse grande. Pairei indecisa entre o Jornalismo e a Filosofia no secundário, mas antes disso não tenho lembrança do que queria ser. Durante a faculdade queria ser tudo o que não implicasse ter que cumprir ordens e horários. Doce ingenuidade!
Beijinhos!

Anónimo disse...

Destas todas, prefiro a Educadora de Infância. Deve ser engraçado viver um quotidiano rodeado de criançada. Existe alguma coisa melhor no mundo?

Sofia disse...

Também já respondi ao desafio. E estou impressionada em como somos diferentes em termos de "sonhos de criança".
Em breve eu vou colocar a segunda parte do meu post sobre o assunto ;)
Abraços,

Maríita disse...

LoiS,
Trapezista?

Tongzhi,
Escolhi-te porque imagino que entre a infância e os dias de hoje uma coisa e a outra não tenha nada que ver.

Jade,
Eu sempre soube o que queria ser, depois é que tive problemas.

Capitão,
Eu adoro crianças, gosto das gargalhadas cristalinas, dos mimos babados, das perguntas desconcertantes e dos comentários tão a propósito.

Sofia,
Eu já li o teu post e realmente somos muito diferentes.

Beijinhos a todos