quarta-feira, janeiro 31, 2007

Nos últimos dias...


tenho andado perdida em livros, uns mais interessantes que outros.
Li "Historias de Cronopios y de Famas" do Julio Cortázar que não se encontra traduzido para português e li o "Equador" do Miguel de Sousa Tavares. Não gostando eu do Miguel de Sousa Tavares, gostei razoavelmente do livro.


12 comentários:

Luís Graça disse...

Tenho tantos livros em lista de espera que não me vou abalançar ao "Equador". E nem é por uma questão de pretensiosismo. Fui dos primeiros a ler o "Eu, Carolina". Seria impossível perder os saborosos pormenores da vida íntima do Giorgio.

À conta do workshop do Sinistierra no D.Maria II tenho-me desgraçado financeiramente. Eu explico: o Rossio é perto da FNAC Chiado. E passar por lá em dias consecutivos é perigoso.

Havia livros em saldos. Vieram para casa uma data de obras de poesia.

Hoje fui aos CD de jazz, usando como desculpa (para mim) que os vou ouvir enquanto escrevo os textos para o workshop.
É rigorosamente verdade, mas não me faltava jazz para ouvir.

Jotabê disse...

Gosto do MST, apesar de algumas verdades que ele lança sempre em forma de verdades absolutas não sejam as minhas verdades, ainda não li esse livro, mas vou ler, fiquei com mais vontade ainda, depois da polémica das imprecisões de carácter histórico.

:)

Beijoca

ps: podes-te exprimir à vontade, a afectação é que me incomoda, bem incomoda a toda a gente só não, a quem a pratica, não é o teu caso, para mim claro.

Capitão-Mor disse...

Razoavelmente? Para mim, este é um dos melhores livros portugueses dos últimos anos. Gosto sobretudo das cartas do Governador de São Tomé para o seu amigo João, queixand0-se da solidão e isolamento dos trópicos.

Tongzhi disse...

O Equador está na fila... Mas há sempre coisas de carácter profissional para ler :(

Jaime disse...

Menos que razoavelmente diria eu. Quando o li achei que se a Margarida Rebelo Pinto se desse ao trabalho de fazer investigação histórica podia assiná-lo. Um bluff sustentado pela comunicação social, corporação tenebrosa que comanda este país...

Beijos

Lígia disse...

minha querida, se oh menos eu tivesse tempo para ler

asdrubal tudo bem disse...

desculpa mas dizer que gostaste razoavelmente do equador só pode ser por preconceito. O livro é excelente.

Hugo disse...

Se esperares até Dezembro pode ser que vejas a série, made in TVI, com O Rogério Samora, a Cristina Homem de Mello e a Alexandra lencastre!

Maríita disse...

Luís,
Guarda dinheiro para outras coisas que nem só de arte vive o Homem!

Maríita disse...

Jotabê,
O que eu gosto no livro é a forma como ele descreve a solidão, chegas a senti-la no corpo.

Capitão,
As cartas que o Luís Bernardo Valença escreve ao João, e as respostas que obtém são um excelente exemplo, de como as pessoas se esquecem quando alguém parte.

Tonghzi,
Acho que vais gostar do livro ;)!

Jaime,
Eu achei o livro a partir de certa altura extremamente previsível e deixou-me "saciada" antes de tempo.

Lígia,
Um destes dias isso muda! Os putos crescem acredita...

Asdrubal,
O livro está bem escrito, mas como já disse antes é extremamente previsível e falta-lhe um toque de realismo mágico. Se lhe quiseres chamar preconceito, estás à vontade.

Hugo,
Será interessante ver como é que passam a obra para o pequeno écran.

Beijinhos

Tyggreza disse...

Agora diz lá, se não tens um urso na canalização?

Tyggreza disse...

Olá!

Desculpa, mas a minha paixão por JCortázar só se iguala a do meu querido amigo DAdams.

Toda a gente devia ler as Historias:

http://www.geocities.com/bizarrona/texto5b.html

em português, então!

Beijinhos