sexta-feira, maio 26, 2006

"A mulher do meu irmão" de Jaime Bayly


Oferta do LoiS no meu aniversário, é um livro que fala do desgaste de um casamento que tem dez anos de existência e dez anos de namoro a antecedê-lo.
Este desgaste traduz-se numa profunda irritação pelos hábitos, inicialmente toleráveis mas que com o tempo se tornam quase repelentes, dos dois membros do casal. Bayly consegue criar uma personagem feminina perfeita, com os seus medos, fingimentos, dúvidas e sensação de sufoco. Os homens do livro são também bastante realistas. No entanto, é na descrição das frustrações sexuais de parte a parte que Bayly se transcende, e que alcança o mesmo nível que Almodóvar nos seus filmes.
Infelizmente as últimas páginas são previsíveis e quanto a mim o fim é demasiado cor-de-rosa para me encher as medidas.
P.S. - Pelos vistos o livro já foi transformado em filme

4 comentários:

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Esta é uma temática muito em voga nos dias de hoje. Mas penso que esta problemática surge com a progressiva emancipação das mulheres em todas as áreas sociais. Conquistando a sua independência financeira, a mulher fica sem paciência para aturar muitas que coisas que aturavam no passado.
Mas convenhamos que hoje em dia existem por aí muitos divórcios que são motivados por insignificancias como tampas de sanita abertas ou pêlos no lavatório. A vida a dois não é nada simples mas convem não cair no exagero...

Maríita disse...

O livro não é assim tão simplista, fala sobretudo do desencanto que um casal sente com o passar dos anos e da necessidade que se tem de se sentir desejado(a) no seio do casamento e como os pequenos nãos do dia-a-dia se transformam em ressentimento, os equivocos assumem proporções gigantescas e por ai fora.

Concordo contigo quando dizes que tampas de sanita levantadoas, pêlos no lavatório ou pasta de dentes sem tampa não são motivos para divórcio, mas são hábitos irritantes.

LoiS disse...

Obrigadinho por avançares com uma informação sobre o final !

Maríita disse...

Não digo nada sobre o final, só digo que é previsível...