quarta-feira, março 22, 2006

Despedidas

É já no próximo dia 29 que o meu chefe deixa definitivamente Portugal. Ando numa lufa-lufa a organizar reuniões, almoços e jantares de despedida, mas cá dentro tenho um coração que está mesmo apertadinho porque trabalho ou não, tenho sempre tendência para me tornar amiga de que se mostra meu amigo. O meu chefe, tem sido ao longo deste último ano, meu amigo. Nunca se negou a ajudar-me, nunca me pediu nada que não fosse do âmbito do meu trabalho e a única vez que se zangou comigo, esteve meia hora a pedir-me desculpa porque tinha sido um equivoco por questões de língua (trabalhar com estrangeiros tem destas coisas).
É já no dia 15 de Abril que está prevista a chegada da pessoa que o vem substituir, geram-se muitas dúvidas, será que...? Parece a interrogação do momento, sobretudo quando durante um período previsivalmente de 4 anos teremos que trabalhar em conjunto e passar por alguns momentos de grande nervosismo e afluxo de trabalho. Veremos...
Mas voltando ao tema do momento, ando cansada de me despedir das pessoas, ando cansada de dizer adeus e começa a custar muito andar sempre a partir do zero para tudo. Quase todas as áreas da minha vida são assim, adeus e restart... Namoros, amizades, trabalho e até na família, ainda que de maneira mais encapotada já o comecei a fazer. Será que este meu "modos operandi" é o mais correcto? Não sei, mas se sofro muito com as despedidas seja de que cariz forem, cada nova pessoa que conheço me enriquece e me faz ver a vida de maneira diferente. Pelo sim pelo não vou agir como até aqui, tenho ganho mais do que perdido.

3 comentários:

Nostalgia infinita... disse...

"...Não sei, mas se sofro muito com as despedidas seja de que cariz forem, cada nova pessoa que conheço me enriquece e me faz ver a vida de maneira diferente..."
Concordo contigo vejo tambem cada nova amizade como um enriquecer da alma.
Mas o mais importante é acordares de manha e sentir que gostas da tua pessoa e ganhas mais do que perdes...

Tudo de bom para ti.

joão vidal

Rita disse...

não vejas essa despedida como algo definitivo na tua vida. Saca-lhe já o mail, pede-lhe o contacto do Skype, telefone, morada e tudo o mais e verás que não há razão para despedidas!
Olha lá, és uma corajosa!!! Tiveste paciência para ler o meu blog inteirinho?!!? risos Obrigada! ;)

Beijocas grandes

Andorinha disse...

Pois é amiga, a vida é feita assim, de gente que vai e volta, e compõe dia-a-dia um bocadinho mais da nossa personalidade e maneira de ser,postura na vida e forma de ver as coisas. Eu q já vou na 4ªcidade em que vivo (e cheira-me que não vou ficar por aí), sei que, tal como tu sabes, que neste ir e voltar acabam por ficar sempre os melhores.É uma espécie de triagem facilitade que Deus nos proporciona!
Beijos, e não te preocupes que vai correr tudo bem com o novo chefinho! Pode ser que seja um tipo novo, sem mulher, e um borracho de cair pro lado! ;))