quarta-feira, janeiro 11, 2006

Quem tem medo...

Um cientista colocou um ratinho numa gaiola.
No início, ele ficou a passear de um lado para outro, movido pela curiosidade. Quando tinha fome, foi em direcção ao alimento. Ao tocar no prato, no qual o pesquisador instalou um circuito eléctrico, o ratinho levou um choque forte, tão forte que, se não desistisse de lhe tocar, poderia até morrer. Depois do choque, o ratinho correu na direcção oposta ao prato.
Se pudéssemos perguntar-lhe se tem fome, certamente responderia que não, porque a dor provocada pelo choque fez com que desprezasse o alimento.
Depois de algum tempo, porém, o ratinho entrou em contacto com a dupla possibilidade da morte: a morte pelo choque ou pela fome.
Quando a fome se tornou insuportável, o ratinho, vagarosamente, foi de novo em direcção ao prato. Nesse meio tempo, no entanto, o pesquisador desligou o circuito e o prato não estava mais electrificado.
Porém, ao chegar quase a tocá-lo, o medo ficou tão grande que o ratinho teve a sensação de que levou um segundo choque. Houve taquicárdia, os seus pêlos eriçaram-se e ele correu novamente em direcção oposta ao prato.
Se lhe perguntássemos o que aconteceu, a resposta seria: "Levei outro choque".
Esqueceram-se de o avisar que a energia eléctrica estava desligada!
A partir deste momento, o ratinho entrou numa tensão muito grande.
O seu objectivo, agora, é encontrar uma posição intermediária entre o ponto da fome e o do alimento que lhe dê uma certa tranquilidade. Qualquer estímulo súbito, diferente, que ocorrer por perto, como barulho, luminosidade ou algo que mude o ambiente, levará o ratinho a uma reacção de fuga em direcção ao lado oposto do prato.
É importante observar que ele nunca corre em direcção à comida, que é do que ele realmente precisa para sobreviver.
Se o pesquisador empurrar o rato em direcção ao prato, ele poderá morrer em consequência de uma paragem cardíaca, motivada pelo excesso de adrenalina, causado pelo medo de que o choque primitivo se repita.

É provável que te estejas a perguntar: "Muito bem, mas o que isto tem a ver
com o medo de SER FELIZ ?".
Tem tudo a ver! Muitas vezes, vemos pessoas levar choques sem sequer tocar no prato.

Quantas vezes, esta semana, deves ter tido vontade de convidar alguém para sair, para conversar, para ir à praia ou ao cinema, e não o fizeste, temendo que a pessoa pudesse não ter tempo ou não gostasse de sua companhia e, desse modo, acabaste sentindo-te rejeitado, sem ao menos ter tentado?
Quantas vezes te apaixonaste sem que o outro jamais soubesse do teu amor?
Quantas vezes tu abandonaste alguém, com medo de seres abandonado antes?
Quantas vezes sofreste sozinho, com medo de pedir ajuda e "ficar dependente" de alguém?
Quantas vezes perdeste um excelente negócio, por medo de fracassos anteriores ?
Quantas vezes te afastaste de um grande amor, com medo de te comprometer?
Quantas vezes não te entregaste ao amor por medo de perder o controle da tua "liberdade"?
Quantas vezes tu deixaste de viver um grande amor com medo de sofrer outra vez?
Quantas vezes levaste um choque sem sequer tocar no prato?

Pensar nisto e... arrisquem ... é melhor tentar e perder ... do que ... Viver Eternamente na Incerteza!!!

(Anónimo)

PS: Recebi este texto que circula na net. Piroso sim, e não deixa de ser daquelas verdades de Lapalisse...
Eu cá tenho medo, mas cada vez arrisco mais. Porra, afinal esta vida são 2 dias!!E eu já tenho quase 30 anos!
Ontem ao ver o Sexo e a Cidade e as eternas aventuras e desventuras da Carrie Bradshaw, ela aventurava-se a largar Nova York para vir viver para Paris, sem rede. Porque ao fim de tantos anos e tombos, chegou à conclusão que nunca andou pra frente por medo de enfrentar novas realidades. Há anos que eu digo que um dia mando um pontapé nisto tudo e vou mas é voltar pra Espanha, arranjar outro emprego e virar outra página na minha vida como tantas vezes fiz quando arrisquei ir para todas as cidades onde já vivi.
Só que agora estou mais velha e mais "queimada", ou "electrificada" como queiram. Tenho medo do fracasso, tenho medo das saudades avassaladoras, de encontrar menos do que aquilo que tenho actualmente e arrepender-me! Tenho medo de sofrer mais, tenho medo de perder a minha liberdade, mas principalmente tenho medo do medo!
Tou farta!
Por isso esta semana convidei alguém, fui semi-rejeitada, mas tentei.
O incrível? É que não sinto que tenha fracassado.
Pelo contrário!
Sinto que venci, porque pior que o fracasso, só o medo constante instalado, e essa foi a minha vitória: atirei-o pela janela!!
Pode ser que este seja o começo de uma nova caminhada e perca o medo de ir viver pra Espanha e dar asas a um novo "argumento", numa nova "peça"... Fica aqui este registo para que eu mais tarde possa vir ver e relembrar como fui cobarde, ou quem sabe, como fui valente!

8 comentários:

marta disse...

Tão giro e tão verdadeiro este teu texto! Sabes qd é que eu acordei para a vida? Qd respondi que "sim" a todas as questões que aqui descreves! Eu sou assim, tenho medo do medo,às vezes nem sei do que é que tenho medo, acima de tudo sempre tive medo de amar e um dia abri os olhos e percebi que afinal sempre rejeitei com medo de ser rejeitada! Ainda continuo na minha luta diária contra o meu medo mas hoje em dia já não permito que ele tome conta do meu coração e dos meus sonhos, ou que não me deixe demonstrar aquilo que sinto às pessoas que amo...afinal ele só desaparece qd o enfrentamos e ai ficamos livres para sempre!Querida andorinha. mesmo que sejas rejeitada uma vez, não permitas q o medo te impeça de sonhar! Se perseguires todos os sonhos do teu coração, chegará o dia em que serás recompensada por essa tua valentia!
beijinho grande..

Andorinha disse...

Brigados linda!
PS:Fui rejeitada por motivos logísticos!lol
Trabalho... :D

marta disse...

Menos mal..lolol

freemind disse...

Tá na hora de pôr em prática...Afinal, quem não arrisca não petisca!!!

Salta Pocinhas disse...

E cá estarão os amigos para te consolar ou para te aplaudir de pé! :)
Eu também tenho medo... de ter medo...
Beijinhos Andorita!
E convida, convida sim! Como se não houvesse amanhã ;)

Nostalgia infinita... disse...

Viver intensamente a vida dar o melhor de nós próprios porque:
A vida é só um sonho no caminho para a morte.
Só compreendemos o milagre da vida quando deixamos que o inesperado aconteça.

joão vidal

simplesmente...mais eu disse...

Olá e obrigada pela tua visita. Quanto à tua pergunta...fica melhor respondida se visitares o meu outro blog...http://partilhando-o-meu-eu.blogspot.com...vê e verás como se costuma dizer...
Beijoka

A.na disse...

Verás como foste valente...sim!

Faz pouco tempo
tive de ser valente... pensei
que tinha sido a minha pior opção,
mas agora sei que a escolha
foi tão certa...foi por mim.

Abraço...voa sempre.