quinta-feira, agosto 09, 2007

Este meu novo horário

de trabalho na Sildávia, das 9h00 às 14h00 durante o mês de Agosto, quase que me deixa sem capacidade para escrever aqui, no entanto, ainda mexo...
Existem uma série de assuntos que sigo com muita atenção:
1º) O protagonismo que o Senhor Joe Berardo parece assumir na sociedade portuguesa. Já não bastava a questão da Fundação Berardo, o Acordo vergonhoso que o Estado português assinou com esse senhor e a figura de sendeiro que ele fez com o Mega Ferreira. Eis senão quando, Joe Berardo diz que Jardim Gonçalves devia ir tratar das galinhas. Ora cá está, Jardim Gonçalves, de quem eu não gosto pelas políticas que implementou em relação à contratação de mulheres no BCP, criou aquele que é o maior banco privado português. Quer Berardo queira quer não, Jardim Gonçalves é um grande banqueiro e deve ser tratado como qualquer ser humano, com respeito.
2º) Alberto João Jardim diz que não tem dinheiro para aplicar a Lei da Interrupção Voluntária da Gravidez, ao território da Madeira. Aqui d'El Rei que Alberto João Jardim não vai cumprir a Lei e logo se inventam mil e uma formas de resolver o problema das mulheres madeirenses. Os hospitais contratualizaram com a Maternidade Alfredo da Costa, a IVG ser feita em Lisboa e posteriormente facturada à Região Autónoma. Ninguém se lembrou que as senhoras precisariam de vir de avião para Lisboa que a nado podia ser complicado. Ora, parece-me óbvio que se o preço da IVG for um bilhete de avião para Lisboa, as mulheres madeirenses continuaram a fazer IVG em vãos de escada. Resultado, quase todos os portugueses comentava, um pouco a medo e em surdina, que quando tinham estado na escola tinham aprendido que o arquipelago da Madeira fazia parte do território de Portugal e que se uma Lei emanava da Assembleia da República e era nacional era aplicável às ilhas. Agora leio que Alberto João Jardim, reconsiderou, e que afinal a IVG já é para aplicar na Madeira. Palavra de honra que este assunto me irrita. Será que ninguém se lembra de qual é o território nacional? Será que Alberto João Jardim come criancinhas ao pequeno-almoço? Será que as pessoas não conseguem racíocinar? Para quê criar problemas onde eles não existem? Se todos os médicos e enfermeiros da Madeira forem objectores de consciência, ai sim, temos um problema, até lá, inventem novas notícias!
3º) O caso de Madeleine McCann. Estou farta! Estou farta dos jornais e jornalistas ingleses, desde o início desta telenovela que os portugueses são péssimos, os maus da fita, a polícia portuguesa é horrível e retrogada. E o mais extraordinário desta história toda é que desde o princípio que a polícia garante que este é um acontecimento que só envolve ingleses e resta acrescentar que infelizmente aconteceu em Portugal. De toda esta história, aquilo que os jornalistas têm feito é a exploração do abominável até à exaustão, já chega!

4 comentários:

Breaking the Waves disse...

Vamos ter muito assunto para conversar ;)

Também já não posso ouvir tanta desinformação sobre a menina... ligar a televisão e ouvir mil coisas, na rua, na padaria, no emprego todos falam como se fossem verdadeiros detectives e detivessem A verdade, seja lá ela qual for... quando mais nada têm com que se entreter... ehehe

Beijinhos e até breve

AnadoCastelo disse...

Pois é querida, eu comungo contigo nestes teus apartes e com muita razão:
1º - o sr. Berardo lá por ter dinheiro já se julga o dono do pedaço, como dizem os brasileiros, e o triste mesmo é os nossoa governantes darem crédito ao que ele diz e quer.
2º - o Alberto João Jardim é aquela velha história, o homem devia ter nascido no contra, seja qual for o assunto o homem é do contra.
3º - ouvi hoje nas notícias que a nossa PJ vai pôr em Tribunal os jornais ingleses que estão a denegrir o trabalho deles. Acho mt bem, quem são eles para dar "bitaites" se eles têm por mês mais raptos no país deles do que nós por ano. Têm a mania que só eles é que são os melhores, mas não é assim. Só é pena que a nossa PJ não tenha feito o mesmo à nossa Joana o que estão a fazer a esta menina inglesa. Mas já chega de tanto mediatismo. Deixem-nos trabalhar.
Bom fim de semana e beijinhos

Geoca disse...

Nada a acrecentar. Só assinar por baixo.

Rubina disse...

Hummm, post muito ácido para as bandas da Madeira, lol...Mas concordo com o que dizes do senhor Berardo. Não conheço o senhor mas tudo o que tenho lido, e visto, fazem-me sentir envergonhada. Educação e classe não são palavras do dicionário do senhor, se é que tem dicionário.

O AJJ é o de sempre. Um bom político - não me matem please - que mete água em questões de resolução óbvia e acaba matando, aos poucos, a imagem. Problema dele!

Madeleine...Já não há pachorra. Tou enjoada!!!