quarta-feira, abril 19, 2006

Operação Páscoa

Este ano, a GNR registou um decréscimo no número de mortos, feridos graves e ligeiros nas estradas durante a Operação Páscoa. Esta informação é claramente desnecessária uma vez que não interessa a ninguém. O que interessa é que morreu um actor dos Morangos com Açúcar.
Não sei quem ele é, nunca o vi, mas nos últimos dias ele entrou na minha vida por todos os lados, televisão, jornais, blogs e afins. É um fenómeno que eu não compreendo, a sério que não. Pode ser que alguém mo consiga explicar.
Morreram dez pessoas, todas elas com família, todas elas com direito a serem tratadas como únicas, porque para alguém neste mundo essas pessoas eram únicas. Tenhamos a capacidade de reduzir as coisas à sua devida dimensão. Aquele actor, causou um prejuízo à TVI que vai ter que alterar o guião da telenovela, mas daqui a 10 anos quem é que se vai lembrar dele? A família e alguns amigos daqueles com A maíuscula, os fãs e a própria TVI (se ainda existir) não. Dê-se às pessoas a dignidade na morte e a privacidade que determinadas situações exigem.
Por último, uma palavra para Eduardo Cintra Torres que publicou hoje um artigo de opinião no Público, o facto de uma televisão explorar a imagem de um jovem actor morto num acidente de automóvel, não significa que a) esse actor seja comparável a James Dean; b) que esteja correcta a exploração da dor e da miséria humana.
Como cidadã deste país à beira-mar plantado agradeço que esse tipo de opiniões e emissões emotivas e ridículas sejam balizadas por aquilo a que tradicionalmente chamamos bom senso e bom gosto.

8 comentários:

Rosa disse...

Não estou a defender a TVI (principalmente, embora outros órgãos de comunicação tenham ido "a reboque"), e concordo que é uma exploração absurda da dor alheia, no entanto percebo perfeitamente a diferença para os 10 mortos da operação Páscoa: há um critério jornalístico que se refere à notoriedade... E embora muita gente não conhecesse esse actor (eu incluída), o facto é que, para o melhor e para o pior, entrava na casa de milhares de pessoas todos os dias.

freemind disse...

A Rosa tem uma certa razão... para a miudagem principalmente essa é uma série de culto e a morte desse actor para eles foi significativa, daí ser visto como noticia.

Agora, concordo plenamente que é um exagero, que raia a falta de respeito pela dor da familia e amigos principalmente.

Até porque nestes casos, o que eu sempre digo é que não é propriamente um acidente... mas quase um suicidio, ainda que inconsciente.

Talvez possa vir a servir de exemplo a alguns desses jovens que acompanham a série... o que não fazer!!

LoiS disse...

Concordo com a Marie. E entendo os Vossos pontos de vista!!!

Explorações mórbidas de factos tristes são uma norma na nossa Comunicação Social, será justificavel um directo tão prolongado de um funeral ??? Para alguns pode ser que sim mas para mim é NÂO.

Quem não se recorda da tristeza que foi a queda da ponte em Entre-os-Rios, com tendas de televisões montadas por lá para acompanharem em directo a dor dos familiares ao longo de um mês???

marta disse...

O nosso povinho adora estas coisas! Adora vêr a desgraça alheia!
Mas sinceramente não sei se será mais morbido os que viram o funeral em directo, se os que foram a correr no dia a seguir ao local do acidente, vêr se ainda haviam rastos!!!
De qualquer forma pergunto eu: será que a filmagem dentro da própria igreja não teve o consentimento da família? Parece-me que sim, não?
Pode ser que a notariedade do rapaz sirva para os pais e adolescentes tirarem alguma lição de vida daqui...

Just Me disse...

Quem está vivo, sempre aparece... ;)

Pois é, tive fora de circulação durante muito tempo, mas assim pude voltei a dar um saltinho aqui :)

Concordo que houve uma exploraçao absurda do tema, mas infelizmente é algo que já aconteceu anteriormente (lembram-se da tragédia que foi a morte do Mikki Feher? Se perguntasem no dia anterior a algum benfiquista se o considerava um símbolo da equipa, tendo dúvida sobre a percentagem de respostas positivas.) No próprio dia do acidente recebi uma mensagem de um conhecido dizendo algo como "Passa esta mensagem para todos os teus contactos para que desta forma possamos honrar a memória do (nome do actor), o (nome da personagem) dos Morangos com Açúcar".

Não conheci o Mikki nem o actor, por isso não tenho nada a dizer relativamente às suas pessoas. Mercê de não ver os Morangos nem ligar muito a anúncios, também não posso dar opinião sobre o talento da "jovem promessa perdida". A minha dúvida é esta: como é que alguém que dá uma sessão de autógrafos num bar e depois tem um acidente em que deixa o car irreconhecível (segundo a polícia) passar a ser lembrado como um santo e que não teve culpas nenhumas no que aconteceu? Não desejo manchar a memória dele, mas ter os pés um pouco mais assentes na terra talvez fosse bom.

Por fim, volto ao sms. Comparações de mortos é coisa que não se deve fazer, mas há muitas pessoas que mereceram reconhecimento pelo trabalho que fizeram na sua vida, mas nunca recebi nenhuma mensagem em honra delas...

Dsc lá o comprimento do comentário :$

Bjks grandes (¨,)

Salta Pocinhas disse...

Epah.. deram o funeral em directo???
Na sabia!
La vou eu lancar a confusao...
Confesso que nao via o Morangos e tinha raiva a quem via porque achava ser copia da New Wave. Mas como 'pancas' que sou resolvi ver para poder criticar a vontade. E assim foi. Nao e o meu papel criticar se sao bons ou maus actores... para mim os criticos (alguns!) nao sao mais que profissionais frustrados que se entretem a tentar deitar abaixo o trabalho esforcado (ou nao) de terceiros. A maior parte deles pode nao passar de uma carinha laroca. Mas e de louvar a tentativa de singrarem na profissao que sonharam ter. Ponto final!
A TVI... epah... ainda nao percebi qual e a vossa admiracao... Estamos a falar da TVI, certo?
Tive muita pena do rapaz, tal como tenho de todas as outras pessoas que faleceram nesse dia (e todos os dias), mas nao podemos esquecer do fenomeno que sao os Morangos e da influencia que tem na vida dos nossos adolescentes. Deixem-nos chorar, lavar a alma e compreenderem que a vida sao de facto dois dias, mas por vezes e madrasta e fica reduzida a metade...
Acho que fugi um bocadinho a questao, mas enfim. Sei quem era o 'miudo' e lamento muito sinceramente a sua morte. O resto, passa-me um bocado ao lado.
Como ja tenho escrito muita vez... as accoes ficam para quem as pratica
P.S. Tambem recebi a tal sms, mas nao fiz fw

Luísa disse...

Bom dia... Acho mierável esta exploração crescente dos media relativamente à dor dos outros...
Por muito que foose alguém que nos entrava em casa todos os dias, via TV, será que ninguém se lembra do luto que aquela família precisa de fazer?

Um beijo.

bruno disse...

fodasse até que enfim, alguém, que neste país, pensa com a sua própria cabeça!!!