segunda-feira, março 06, 2006

Carta

Querida tia,
Hoje não me apetece falar do momento presente desculpa a minha cobardia, está a doer é tudo o que te posso dizer, como é que a vida deu esta volta? Deve ser para não nos habituarmos às coisas e às pessoas. Nada é imutável, nada mesmo...
Lembraste quando eu ia para casa da avó e ainda fazia a sesta? Agora sei que tu adormecias mesmo antes de mim, ainda assim o "Perna de Pau" era meu... e o carrinho de corda verde do pai? Tu permitias-me brincar com ele, desde que o pai não soubesse é claro...bem, a esta altura penso que ele sabia mas não se importava porque sabia que eu não estragava porque tu estavas lá para não permitir que eu fizesse um risco ou uma amolgadela no Buick...e a tua carteira cheia de tesouros? E o teu espelho de duas faces? Será que alguma vez te agradeci os marcadores de várias cores? Até traziam instruções de como misturar as cores... Obrigada, obrigada por esses momentos que nem sei como catalogar na minha vida.
Beijinhos da tua sobrinha,
Maria João
P.S. - Desculpa eu não estar lá agora, eu tenho tentado.

9 comentários:

marta disse...

Está lá a melhor parte de ti : o teu coração!
Jinho

Maríita disse...

Obrigada Marta, mas neste momento parece-me fraca consolação.

Bejinhos,
Maria

marta disse...

Tens que te perdoar a ti mesma pelas tuas limitações.

LoiS disse...

Bjs Marie...
Tou aqui, sempre, para ti !
LoiS

Maríita disse...

Obrigada cheri,
És um doce...
Beijinhos,
Marie

Sofia disse...

Ela sente que lá estás.E este post deves tentar vocalizarlo el dia que puedas. Seguro que le encantará saber lo cuanto la quieras.No dejes nunca de decir lo que sientes, aunque te duela, cueste o machuque todo lo que hay dentro.Sé que lo harás, solo no hagas tarde demás.Busca, busca...tiempo para todo lo que es importante. Sé que lo haces todos los dias y de inerte no tienes nada, que no eres Dios y como tal no puedes estar omnipresente. Creeme que te entiendo, aunque pienses que no tengo ni puñetera idea.Llamale si luegras encontrar fuerzas, si puedes, si es posible. Algo.Mi Tio lloró el dia en que acudi a todas mis fuerzas y le llamé al hospital antes de morirse.Me quedé con su voz, se quedó con la mia, y yo aún con su llanto que me mataba el alma, pero que sé que era amor.
Ya escribi demasiado. Un beso y fuerza!

Maríita disse...

Es un poco dificil llamar en este momento, espero que el día que yo muerra la encuentre.
Besos,
Maria la portuguesa

Sofia disse...

Lo siento de corazón. No lo sabia. Creia que todavia no era tan tarde...no lo sabia, lo siento.
Yo creo que todos volvemos a esta vida terrena, un dia...tarde o temprano. Es asi que encontraré a mi Tio, y tu a la tuya. Es una esperanza que solo sabré si es realidad el dia que me muera yo tambien...
Sabes donde encontrarme.
Besos de otra...

NessieBessie disse...

Atão? Nem pareces a Mary Jo, a tia Jonhy.. ai ai ai.. ânimo aí meçoila... Sorrir gasta muito menos energia e dá muito mais luz.... (compreendo que é dificil, muito dificil.... mas é a retribuição da força que tu e a desnatada da Salta me deram, há alguns anitos atrás, quase 10...)