terça-feira, janeiro 10, 2006

Clown...o Palhaço que há em nós!

Não fazia ideia do que era ser Clown, muito menos do que seria um workshop de Clown!
Recebi um email que dizia:

O trabalho principal da oficina será a procura do palhaço de cada um, mediante exercícios de improvisação e jogos específicos da técnica de clown. A aprendizagem passa por se sentir confortável em cena, comunicar com o público através do olhar e usar as formas de ser e a parte ridícula de cada um para provocar o riso. Para se fazer uma oficina de clown tem de se estar disponível interiormente para tal e, por isso, tem de haver vontade de dar e receber, de ser honesto, de ser vulnerável e frágil como forma de partilha com os outros, de pôr de lado as máscaras do quotidiano e sentir!
Temas abordados:
1. Contacto com o palco, trabalho de relaxamento e de confiança
2. Honestidade
3. A comunicação com o público (trabalho de desinibição através do olhar)
4. A vulnerabilidade
5. A estupidez
6. O fracasso e o sucesso, como lidar
7. Níveis de emoções
8. O exagero
9. O ridículo
10. O improviso
11. Expressão corporal, como forma de comunicação não-verbal

Tinha gostado especialmente das palavras: relaxamento, confiança, honestidade, desinibição, fracasso e sucesso e EMOÇÕES.

Escusado será dizer que decidi descobrir a palhaça que haveria em mim, peguei nas pernocas e lá fui eu, levar com 6 horas de formação no sábado e mais 8 no Domingo.

O resultado foi devastador!
Não tinha muitas expectativas, só queria ver se era capaz de me expor perante estranhos e alguns conhecidos e amigos e essencialmente, sabia que haveria exercícios que me iam obrigar a puxar pelas emoções...coisa em que sou péssima...
Sou muito extrovertida (até demais, há quem diga!), mas não sou capaz de chorar há uns bons anos... uns 6 pelas minhas contas...também não grito, mesmo quando estou com imensas dores, não sou capaz de desatar aos berros numa "palhaçada" qualquer, ou passar-me da cabeça e fazer disparates espontâneos... só quando estou com os miúdos pequenos, então aí borrifo-me pra quem esteja ao pé e ando a rebolar com eles no chão, dou cambalhotas e faço o pino!
Não sou nenhuma anjinha, santinha, ou sequer seca de estar ao pé! Mas sou extremamente controlada nas minhas reacções geradas por emoções...
Ah pois é... no workshop não havia lugar p'ra "frescuras" e dei comigo de nariz bolinha vermelha, aos berros, a saltar e pular como uma doida, e totalmente descontraída consegui fazer rir 15 pessoas durante 6 minutos consecutivos... e aprendi a captar pelo olhar!É fundamental olhar nos olhos de quem nos está a ver:sem medo!Perdi o medo e descontraí!Perdi a vergonha e expus-me!Perdi os preconceitos e revelei-me!Nunca pensei conseguir chegar tão longe, pra mim foi uma das maiores vitórias dos últimos anos.

Os meus amigos sempre me acharam um piadão, principalmente quando estou zangada, coisa que eu nunca entendi! Eu ali esbaforida, a passar-me literalmente dos "carretos", e eles à gargalhada! Quanto mais se riam, mais zangada eu ficava e menos entendia!
Agora sei.
É nessas alturas que sou mais genuína, mais honesta, que as minhas expressões faciais, principalmente os meus olhos enormes e expressivos saltam cá pra fora como se fossem sair de órbita, é nessas alturas em que me sinto... frágil...e deixo cair as máscaras que me acompanham diariamente.
Então aí, sou eu própria, e eles riem-se não de mim, mas comigo. Porque quando me zango disparo todas as parvoíces que me passam pela cabeça, falo sem parar, e pareço uma metralhadora engasgada! Sou estupidamente honesta, e abano os braços como se fosse desatar a voar! Assim quem não se ri?!

Enfim, histórias à parte, a minha palhaça é uma palhaça muito gira: é convencida e ignorante, uma espécie de loira burra, com pronúncia exagerada de Tiazoca de Lisboa.
No fundo não passa duma antítese do que sou, ...agora que escrevo e penso nisso...sou uma falsa loira, não sou convencida, não sou nenhuma mente brilhante, e sou uma naba de todo o tamanho no que toca a arte, música e geografia...entre muitas outras coisas mas enfim, e sou nortenha, adoro a minha pronúncia e gente simples do campo, gente genuína e não oca e falsa como as Tiazocas.

Em suma, adorei e um dia, aqueles que me conhecem, se quiserem apresento-lhes a minha palhacita: é uma gira aquela...Andorinha!;-)

8 comentários:

marta disse...

Que engraçada e interessante essa tua aventura! No curso de terapeutas que estou agora a tirar aconselharam-nos precisamente a utilizar a tecnica do teatro como forma de desbloqueio para quem tem dificuldade em expressar as emoções.O facto de representarmos algo que não somos ajuda-nos a libertar daquilo que não conseguimos habitualmente demonstrar na nossa vida.Mesmo assim, para mim chorar é a melhor terapia de todas no desbloqueio emocional e uma excelente forma de manter as emoções em dia.Mas essa tua forma de ser, reservada a nível de emoções é muito tipica do escorpião, parece-me a mim que a "palhacita" terá mais a ver com o teu ascendente, não? :) eu consigo chorar mas jamais choro à frente de alguem e todos os dias tenho uma luta comigo própria para demonstrar aquilo que sinto, alias acho que já perdi muito na vida em ser assim! Mas parabens por essa tua conquista pessoal, eu acho que nunca o teria conseguido, acredita..:)
bjs

freemind disse...

No fundo tu sempre soubeste que estavas na carreira errada, confessa lá vá!!!!

Mas acho excelente que descubras uma forma de extravasar o que aí vai dentro... seja a chorar, a gritar, a estrebuchar... ou até mesma sob a forma de palhaça. O importante é que te faça sentir bem e ajude a limpar a alma.

Maríita disse...

Quando o meu telefone tocou às tantas da noite, porque estavas super contente com o processo Clown, achei um piadão. Não achei nada estranho até porque eu fiz um dia de Clown na Corunha e foi espectacular...

Se for preciso seres uma Andorinha palhacita para expores as tuas emoções, go ahead. Nós cá estaremos para "lo pasar bien contigo" y não gozar com a tua cara.
Beijocas

P.S.- Tu quando estás zangada, irritada e furiosa tens muita graça mesmo, porque és tão genuina que o pessoal não aguenta

freemind disse...

Acabei de ter uma ideia fenomenal... mas a concretizar só em Fevereiro... lol, lol.

Já temos todos máscara para o carnaval este ano, uma fez a formação, outra já fez de clown também... perfeitas para encarar a personagem com maior realismo ainda...
Tá feito, não há desculpas!!!

Andorinha disse...

Sra. Dª Free...Será que pela 1ª vez vou festejar um Carnaval?? EU q odeio mascáras e carnaval tanto como odiava...a passagem d'ano?... lol

E ó Maria tosca, então não me disseste que já tinhas experimentado isso na Corunha? Tavas mesmo a dormir!

Marta, não tou curada, linda. Apenas melhorei!Continuo a trabalhar num sítio onde me abafam as emoções!Eu agora tenho que ver é se FUJO daqui! lol
E a minha palhacita pode ter a ver com o meu ascendente Leão...bem pensado!
Mas continuo sem chorar...mas aos poucos e poucos lá chegarei!Não quero ser uma "Maria mijona", mas assim tb não dá, né?
Mas enfim, tou mto bem disposta e bem melhor que nos outros dias!

Bjs a todas!

marta disse...

Ascendente leão? Ahhhh então está explicado! :) Que queres tu melhor do que o signo mais criativo e com mais postura do zodiaco para fazer teatro? :) Sem duvida que é uma "palhacita" leonina a lutar contra uma energia escorpiónica! ehhh sabes que tb me senti muito assim no meu trabalho. Quem trabalha com numeros e com pessoas que só vêem numeros, sente-se abafado nas emoções. Parece que não sentem nada,que são limitados nas emoções, talvez por isso eu tenha decidido entrar para um curso de terapeutas para trabalhar com pessoas.Mas se chorares às escondidas, ninguem fica a saber que és uma Maria Mijona...lolol
bjokinha

Andorinha disse...

Ora aí está!Quem diria, bolas!
Há uns anos atrás fiz o meu mapa astral e fartei-me de rir qdo o Sr. me disse que eu tinha jeito pra artes, teatro!EU??? Nunquinha!
Toma lá Maria Andorinha, já levaste a encomenda pra casa!
Bem me perguntava o palhaço formador se eu me estava a sentir bem, e eu dizia:lindamente, qto tempo posso ficar aqui?
lol
Palco e ribalta! Olha eu no teatro! lololol
Eu bem queria ter sido pandeireta, mas tive que o deixar pro meu Maninho que tem um jeitaço!O que eu gostava mesmo era da altura das piadas!
Este post deu-me mais que pensar do que imaginava...obrigado meninas!!!

Maríita disse...

Estava a traduzir ;-)!

Mas o que eu gostaria de fazer era um curso de teatro, não de Clown... já me vejo em Hollywood a receber o meu tão merecido oscar... Loololol!

And the winner of the leading actress is... Maríita for her wonderful role in "Life" (in a theater next to you).
Soa mesmo bem, né? Mas como eu disse num blog perto de nós, neste momento ando a tratar dos bastidores... mas já regressarei, never fear, I don't