terça-feira, dezembro 13, 2005

Copo meio cheio.. ou meio vazio?

"O copo para si, está meio cheio, ou meio vazio?"

É uma frase que nos colocam amiúde e que pode levar a pensamentos e emoções, daquelas que nos dão "um murro no estômago".

Na maioria das vezes a pergunta é para ver se vemos a vida de um modo positivo, ou negativo.
Hoje quero colocar as coisas noutros moldes.

As pessoas com quem estamos, por quem nos apaixonamos, são um copo meio cheio, ou meio vazio?
Passei um fim de semana delicioso, em companhia mais deliciosa ainda, mas para mim o copo estava meio vazio.
O que faltou? Nada. Então porquê este sentir? Porquê este vazio?
Culpa dele? Culpa minha? Não. Aqui não há culpas. Há sentimentos acumulados ao longo do tempo por outras pessoas e por outras histórias, que quer queiramos quer não, nunca nos abandonam. Essas histórias fazem parte de um todo que deixa o copo sempre a meio. Como é que nos libertamos disso?
Invejo com todas as minhas forças os amigos que têm que são capazes de deitar para trás das costas o que viveram com outros e começarem do zero, como se nunca tivessem tido o melhor momento das suas vidas, ou o pior.
Queria tanto, mas tanto ser assim!Ser uma apaixonada pela vida e pelas pessoas, e ser capaz de me entregar novamente com a inocência dos meus 18 anos!! Quero de volta a minha inocência! É isso que aqueles que se entregam ainda preservam! Porque é que não a consigo recuperar, porque é que não fui capaz de preservar a minha?

Como é que se sentem com a pessoa que está ao vosso lado? Completa-vos? Completam-no(a)?Quando estão com ela o mundo parece que desaparece à volta, é fantástico!!Magia!
Mas não se sentiram já sós, mesmo estando acompanhados por essa mesma pessoa em outras situações? Não sentem falta de rigorosamente mais ninguém? Não há mais ninguém que vos venha à mente e pensem: ela/ele ia gostar disto...
Voltemos atrás: quanto tempo dura então essa "magia"?
Não mintam!! Olhem que mentir é feio e faz crescer o nariz como o Pinóquio!
Eu digo-vos: dura o momento.
E se eu vos disser que já fui capaz de a sentir durante longas horas, dias, meses e anos? Chamou-se Amor. O resto é paixão, e as paixões são efémeras.

No outro dia prometi neste blogue que ia continuar na minha "senda" por tentar sentir mais e pensar menos.
Também disse que fazê-lo gerava uma amálgama de sentimentos que não estavam a ser fáceis de gerir. Nada mais verdadeiro. Não estou a ser capaz. Resultado: copo meio vazio.
Quando pelo menos uma vez na vida já nos sentimos preenchidos, parece que nada mais nos preenche. Tornamo-nos tão exigentes com os outros que desaprendemos a apreciar a companhia que temos no presente.
Mas será que nos devemos satisfazer com menos? Porquê querer menos, quando sabemos que já experimentamos mais e que não há sensação que a iguale? P'ra quê o menos? Porquê contentarmo-nos com menos???
Não sei quanto a vocês, eu não desgosto dos momentos em que o meu copo está meio cheio ou meio vazio, é com eles que construo o meu dia-a-dia, porque tem que ser, porque me vou estupidamente contentando com menos...e pouco a pouco vou levando... mas estou cansada. O vazio invade-me, não quero que assim seja. Naquilo que é verdadeiramente importante, quero-o CHEIO.

5 comentários:

Anónimo disse...

Olha, tens a foto em que fiquei na sexta?
estava eu tu e ela pelo menos, estavas sentada em cima de mim, quem terá sido?
não me lembro estava escuro, vou indagar então
mas sabes que ela me atrai imenso?
mais um para o saco dos embevecidos
pôs-me a escrever e tudo estás a ver o filme?
sabes qual foi a última vez que escrevi?
faz-lhe as contas, vou só confirmar quando foi.
fez ou está quase a fazer 1 ano.
ainda aí estás?
assim que acordei sabes qual foi o meu primeiro pensamento?
Adivinha...
Ela foi o meu primeiro pensamento
é assim tão estranho?
porque dizes que me desencanto com facilidade?
pois não sei o que te diga
se achas que sou assim... que me desencanto facilmente... achas mesmo?
por acaso acho que não tenho muitas expectativas
as tuas observações é que me estão a fazer ficar de pé atrás. não sei, parece que me estás a demover
Se não tenho alguém na minha vida???
já te percebi finalmente
uma coisa te digo passei a semana passada toda a pensar nela.
finalmente vejo-a na sexta e o sentimento é diferente do que a mera atracção física.
parece que quando me aproximo
há alguma coisa que clica
e de repente faz tudo sentido
e todo o tempo que passei
ou todo o fugaz tempo que partilhei com ela
fez sentido de alguma maneira
não sei descrever
a ansiedade aumenta tanto
mas ao mesmo tempo estou calmo
o instinto diz-me...
nem sei...
parece que bate tudo certo
não deves estar a perceber
não sei explicar
desde o primeiro momento em que a conheci, há dois sábados.
aquele momento fugaz
começou tudo a mexer
tudo num turbilhão
sempre a girar
até que ela se afastou para o grupo dos amigos com quem estava
e de repente o vazio instalou-se... não foram mais de 5 minutos...
neste sábado quando acordo
o meu primeiro pensamento foi para ela
quando ia a fazer a viagem
ia todo roído por ter combinado aquilo
e com vontade de voltar para trás
no domingo quando acordo
o meu primeiro pensamento é para ela
não fazes idéia das vezes que já faltei a estes jantares
todo roídinho por ir ...
a minha mente viajava à velocidade do automóvel
sempre a galgar kilometros de asfalto
ao mesmo tempo que revivia todo e qualquer momento da noite anterior
quando te perguntei a que horas chegavam
porque quereria eu saber?
quando vos vi a chegar
quem procurava eu?
preciso de responder?
passei a noite toda a trabalhar
qual foi o meu pensamento recorrente?
dasse
não é fácil estar nesta posição...
parece que estou a ressacar de uma droga altamente viciante
Quero mais, cada vez mais...
não estás a tomar atenção pois não?
bem me pareceu
ainda por cima ao falar nisto
estou a ficar ansioso
por uma palavra
um som
algo por pequeno que seja
que me dê alguma tranquilidade
continuas a não prestar atenção nenhuma pois não?

freemind disse...

Há uma coisa que referiste e da qual eu própria tenho imensa pena também: ter perdido aquela inocência. As quedas podiam ser grandes, mas as coisas, as relações, os sentimentos eram vividos de uma forma diferente de facto.

Mas também te digo mais uma coisa, nunca te contentes com o menos. Apesar de tudo quero continuar a acreditar que é possível amar mais que uma vez na vida... e "aquela" sensação um dia voltará, embora vivida de forma diferente provavelmente. Afinal, nós crescemos, aprendemos (ou pelo menos deviamos aprender!!) e o passado passou a fazer parte da nossa vida.

Se por um lado esse passado contribuiu para mudarmos, nem sempre para melhor ou pelo menos não em tudo, também ajuda ou a não cometermos os mesmos erros... ou pelo menos a cometê-los de forma mais aplicada...lol.

Não podemos apagar o que passou, nem o que sentimos ou vivemos... mas podemos aproveitar o presente deixando o passado arrumado no seu canto... e esperar que no futuro corra melhor... agora, isto é fácil de dizer... mas acredita que também sei muito bem como é dificil fazer!! :)

Andorinha disse...

Freemind, viste o comentário deste anonymous? Tou pregada à cadeira.
Eu também não quero menos. Pelo menos não quero mais do mesmo. Quero voltar a sentir as coisas DESTE modo.
Isto é COPO CHEIO.
Este sentimento que invade e preenche mesmo sem palavras, apenas pela presença.Mais forte que muitas sensações de toque, tacto ou cheiro que já sentimos. É como ter um campo magnético em nosso redor quando aquela pessoa se aproxima,mas em vez de nos sentirmos eufóricos, sentimo-nos bem, em paz. O estômago cheio de borboletas (pelo menos o meu), mas o resto do corpo,principalmente a mente fica como que anestesiada. Mas não estúpida, ah! E depois só queres mais do mesmo, e lamento informar-te, mas não esse desejo não vai existir só hoje ou nas próximas semanas.Mesmo que não se concretize em nada.Essa sensação de droga viciante é algo que nunca mais vais esquecer. Se tens alguém e nunca o sentiste com essa pessoa, então estás no sítio errado, e por muito que gostes dela, mais tarde ou mais cedo...o tempo o dirá. Mas já vi esse filme antes. Por isso te digo: muito cuidado...há aqui muitos sentimentos misturados e pouco claros e muita gente que pode sair magoada, principalmente tu. É como entrar numa montanha russa sem paragem ou tempo definido pra parar!Tenho saudades.Muitas.
Beijos

freemind disse...

Bom andorinha... ao longo do teu comment de resposta acho que me perdi... :) Embora tenhas começado a referir o meu comment, presumo que a parte final tenha outro destinatário... lol.

Ps. já te conseguiste despregar da cadeira? E já agora, ficaste pregada de supresa ou contentamento?

Andorinha disse...

O comentário era p'ros 2 mesmo!!
Se leres e me imaginares a conversar com os 2 ao mesmo tempo como se tivessemos no café, vais ver que é num flash que vês tudo! :D É assim uma espécie de complemento do meu post, lol!

E fiquei pregada de surpresa!!
Contentamento tb, por o texto ter conseguido pôr alguém a escrever ao fim de 1 ano!;)

Agora pro meu anónimo:prestei atenção a cada linha. Vem cá mais vezes, visita-nos, escreve-nos, gostamos de te "ouvir".